PMC

discussão

o nervo radial é composto de ramos das raízes nervosas C5 através T1 e surge a partir da medula posterior do Plexo Braquial dentro da axila. Ele corre sobre a superfície dorsal do úmero no sulco espiral suprindo os músculos extensores da parte superior do braço. O componente motor do nervo radial innervates o tríceps, anconeus, brachialis, brachioradialis, supinator, abdutor pollicis longo, e o antebraço, extensores do músculo, permitindo, assim, extensão de cotovelo, extensão do punho, parte de flexão do cotovelo, supinação do antebraço, e o polegar extensão e abduction8). O componente sensorial do nervo radial carrega ramos afferentes da parte posterior do braço, antebraço e mão.no nível do cotovelo, a arcada de Frohse, o nervo radial bifurca-se no nervo interosseoso posterior (PIN) e no nervo radial superficial (SRN). O pino fornece os músculos extensores do antebraço sem ramos sensoriais e não entra na mão. O SRN corre para a mão e inerva a parte dorsal cutânea da mão. Como cada nervo tem um potencial diferente, este curso bifurcado é importante para localizar as origens das lesões patológicas durante os exames de diagnóstico (Fig. 2).

ilustração esquemática da distribuição e funções do nervo radial e dos seus ramos. No nível da arcada de Frohse, o nervo radial bifurca-se no nervo interosseoso posterior (PIN) e no nervo radial superficial (SRN). Uma lesão do nervo radial acima do cotovelo pode apresentar fraqueza na extensão do cotovelo e extensão do pulso com diminuição da sensação nas distribuições do pino e SRN. Esta localização bifurcada é importante na localização das origens da lesão patológica durante os exames de diagnóstico.

Existem 3 tipos de neuropatia radial, de acordo com o nível de lesão : Pin paralisia, SRN paralisia, e combined6,8,9,10). O pino é mais vulnerável ao aprisionamento logo além de sua origem, pois passa por baixo da arcada de Frohse na borda proximal do supinador no túnel radial 9). A compressão do PINO, só pode se manifestar como pura fraqueza motora na sua distribuição, resultando na impossibilidade de estender as articulações metacarpofalangeanas do dedo e o polegar, assim como a fraqueza na extensão do polegar na articulação interfalângica, que também é chamado de “dedo cair.”Geralmente, não há queda completa do pulso porque o extensor carpi radialis longus é fornecido pelo nervo radial proximal ao seu ramo terminal. A compressão do ramo sensorial superficial por si só pode apresentar-se como parestesia e diminuição da sensação ao longo da área cutânea no lado radial do dorso da mão 5,6).uma lesão do nervo radial acima do cotovelo, como a paralisia de sábado à noite ou paralisia do sono, pode apresentar fraqueza extensor do cotovelo, pulso e dedo, acompanhada por perturbações sensoriais ao longo do pino e SRN2,4,11). Neste estudo, 20 doentes apresentaram queda do pulso e queda do dedo com diminuição da sensibilidade da mão posterolateral, e 5 doentes apresentaram extensores fracos do polegar e do dedo e extensão preservada do pulso. A consciência do local habitual de entalamento do nervo radial com a sua função motora é crucial para localizar a lesão. Uma neuropatia radial elevada proximal à ranhura espiral resulta na fraqueza na extensão do cotovelo, extensão do pulso e extensão do polegar e do dedo. Uma neuropatia radial acima do cotovelo apresenta resistência preservada na extensão do cotovelo e fraqueza na extensão do pulso, polegar e dedo, e em algum grau, flexão do cotovelo, supinação do antebraço e abdução do polegar. Uma neuropatia radial distal ao sulco espiral e proximal à divisão do pino mostra a extensão preservada do cotovelo, extensores fracos do polegar e dedo, e vários graus de extensão do pulso e fraqueza da flexão do cotovelo, dependendo da localização exata da lesão. Uma lesão indica resistência preservada na extensão do cotovelo, extensão do pulso com desvio radial e flexão do cotovelo. Assumimos que 20 dos pacientes tinham lesões no sulco em espiral, e 5 pacientes tinham lesões próximas à arcada de Frohse.o exame sensorial do nervo radial deve incluir uma picada de alfinete e ensaios de toque leve do braço e antebraço posteriores e da mão e polegar laterais posteriores. A perda sensorial em todas estas áreas implica uma lesão do nervo radial acima do sulco espiral. A perda sensorial sobre a mão e o polegar laterais posteriores, com sensação intacta sobre o braço e o antebraço posteriores, é consistente com uma lesão SRN ou uma lesão do nervo radial no sulco espiral.as avaliações neurofisiológicas podem confirmar o diagnóstico e determinar o local da lesão. Na maioria dos casos de neuropatia radial compressiva, o tipo de lesão é uma “neuropraxia” que não envolve danos ao axon. A Neuropraxia é classificada como um bloqueio transitório de condução da função motora ou sensorial sem degeneração neuronal. Assim, apesar da diminuição da função motora, os doentes com neuropraxia são capazes de recuperar a função neurológica normal dentro de várias semanas a meses. Neste estudo, 82% de todos os doentes sentiram o início da melhoria do défice sensorial em 2 semanas. Dezoito por cento de todos os pacientes tinham melhorado após 2 semanas, e não houve correlações entre o tempo de compressão neural e o início da melhoria clínica. O nervo periférico está embutido em tecidos epineurais, que são diferentes em cada indivíduo. Portanto, tempos idênticos de lesão neural nem sempre levam à mesma lesão neural, e dependendo das condições individuais, lesões diferentes podem ser induzidas.os valores do potencial de Acção sensorial normal do nervo (SNAP) incluem uma amplitude ≥15 µV, uma latência distal máxima ≤2, 8 ms e uma velocidade ≥50 m/s9). O SNAP pode ser anormal em casos de SRN e normal na neuropatia PIN com SRN não afetada ou um disco cervical herniado e outras doenças. O estudo de condução do nervo motor é facilmente realizado estimulando o nervo radial no meio do antebraço superior, no cotovelo entre a braquioradialis e o tendão biceps, e no braço acima e abaixo do sulco espiral. Os valores normais do potencial de Acção muscular composto (CMAP) incluem uma amplitude ≥2 mV, uma latência motora distal ≤3, 3 ms e uma velocidade de condução ≥49 m/s. No entanto, devido ao volume de potenciais conduzidos a partir dos músculos do antebraço radial e do curso tortuoso do nervo radial no antebraço, o CMAP pode ter uma deflexão positiva inicial levando a dificuldade na medição precisa. Por esta razão, a medição do motor NCS é útil no sulco espiralado lesionas11). A EMG pode revelar anormalidades na radial-inervado músculos (brachioradialis, extensor digitorum communis, supinator, extensor indicis proprius, extensor carpi radialis longo e extensor ulnar do carpo). Potenciais de fibrilação aguda ou ondas agudas positivas implicam uma lesão aguda e é útil na localização7).

Existem outras doenças neurológicas que são semelhantes à neuropatia radial, e existem algumas pistas que podem ser usadas para distinguir entre os locais afetados, que incluem (de distal a proximal) o nervo radial, cordão posterior, plexo braquial, raiz cervical, e córtex cerebral. A plexopatia Posterior do cordão umbilical normalmente envolve fraqueza deltóide e perda sensorial no ombro, bem como uma função anómala do nervo axilar ou toracodoral. A radiculopatia C7 ou plexopatia do tronco médio é menos provável na presença da função tríceps preservada. Em caso de hérnia do disco cervical, os sinais de irritação da raiz nervosa devem ser avaliados para diagnóstico diferencial. A irritação da raiz do nervo pode muitas vezes apresentar-se não apenas como uma dor inesgotável no pescoço, mas muitas vezes uma sensação aguda ou ardente com braço de referência de acordo com os movimentos do pescoço.uma lesão PIN é excluída por perda sensorial na mão e no pulso. O AVC Cerebral pode causar uma queda isolada do pulso, mas geralmente é acompanhado por sinais de outros sintomas neurológicos, incluindo mudanças no estado mental, tamanho da pupila, reflexo pupilar leve, sinais vitais instáveis, etc. Além disso, a neuropatia radial proximal é relativamente fácil de diferenciar por disfunção sensorial, queda do pulso ou fraqueza extensor do cotovelo por causa da miopatia. A epicondilite Lateral (síndrome do túnel radial ou cotovelo de ténis) pode apresentar dor lateral do cotovelo sem compromisso sensorial.Arnold et al.1) relatou que o resultado da neuropatia radial não-traumática compressiva é melhor do que o resultado após trauma. Portanto, na maioria dos casos, o tratamento primário deve envolver uma gestão conservadora, incluindo observação, medicamentos anti-inflamatórios não esteróides, prevenção de atividades provocantes, e o uso de talas de pulso. No entanto, se os sintomas persistirem após 3 a 6 meses apesar de uma gestão adequada, pode considerar-se a neurolise.embora o prognóstico de neuropatia radial compressiva tenha sido relatado ser bom, os resultados de denervação sobre EMG da agulha e fraqueza inicial grave são indicadores fiáveis para um mau prognóstico, e estes doentes devem ser cuidadosamente monitorizados se a fraqueza não melhorar3).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *